Quem pode entrar no sistema de cotas?

O sistema de cotas para ingresso em instituição de ensino não é uma criação brasileira mas é usada nas inscrições ENEM 2021. Ele existe em outros países. Um dos que mais utiliza há mais de uma década é os Estados Unidos. A proposta é privilegiar grupos considerados excluídos socialmente ao longo da história. Saiba mais!

Qual a finalidade do sistema de cotas?

Para compreender como as cotas funcionam é preciso entender porque elas foram criadas e qual a causa de serem usadas em processos seletivos como o Enem, por exemplo. Acredita-se que em alguns países, por mais igualitário que seja o ensino, diferentes grupos sociais possuem oportunidades diferenciadas.

Infelizmente o acesso ao estudo de nível superior, concursos públicos e outros tipos de processos seletivos valorizam quem tira a maior nota. Contudo, a maior nota obtida não apenas por quem estudou mais, mas quem teve acesso ao melhor material didático o melhor qualidade de ensino. E isso sabemos que nem todos possuem da mesma forma.

A finalidade do sistema de cotas é igualar as oportunidades de todos os alunos para conquistar o tão sonhado diploma de ensino superior ou entrar em um cargo público. Pelo menos esta suas duas utilidades no Brasil onde elas são usadas.

Os tipos de cotas no Brasil

Os tipos de cotas no Brasil foram criados pensando nos grupos sociais os quais mais sofreram diferenciação ao longo da história e não conseguem competir por vagas com igualdade. São fruto de estudos do Governo Federal em parceria com o Ministério da Educação, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e outros órgãos. São eles:

  • Para negros – Ao longo da curta história do Brasil como um país os negros saíram de escravos para marginalizados sociais. Em sua maioria as pessoas com a cor da pele escura formam um grande percentual da massa pobre do país. Por razões semelhantes nos Estados Unidos também a cota para negros no ingresso no ensino superior.
  • Para índios – Os indígenas em sua maioria estudam nas reservas e com qualidade de ensino muito inferior a um estudante de instituição particular. Não poderiam competir com igualdade quando até mesmo o seu material didático não é tão rico em formação. Em muitos casos os estudantes indígenas não possuem ao menos acesso à Internet. Para estudantes que completaram o ensino médio em escola pública – não deveria ser assim mas o ensino médio de uma escola pública não vou ser a mesma qualidade de uma instituição privada. Greves e outros percalços como atrasos no material fazem o estudante entrar em desvantagem nas inscrições ENEM 2021.

Para estudantes membros de família de baixa renda – Ter pouco dinheiro no bolso não significa não conseguir estudar. Mas o Ministério da Educação leva em consideração outros fatores das famílias com renda de até dois salários mínimos que podem tornar muito difícil o dia a dia do estudante na escola.

Muitos filhos na condição de baixa renda faltam às aulas por não terem transporte. Outros precisam trabalhar para ajudar a complementar a renda da casa, o que auxilia a diminuir ainda mais a qualidade do aprendizado.

Leave a Reply